Publicidade

— Doutor, eu tenho um problema que me deixa muito constrangida e, por isso, desejo fazer uma operação plástica...
— O que é?
— Tenho os lábios vaginais muito grandes e morro de vergonha.
— Deixe-me examiná-la! Huuummm... bem... acho que, realmente, seria conveniente operar.
— Mas, por favor, Doutor, eu quero sigilo absoluto. Isto é muito constrangedor!
Depois da operação, a paciente acorda da anestesia e vê ao seu lado, na cama três bonitas rosas vermelhas. Furiosa, ela telefona para o cirurgião:
— Pô, Doutor! Eu lhe pedi sigilo absoluto! Ao acordar, já me deparo com três rosas... O senhor contou para alguém?!
— Não, senhora! A primeira rosa fui eu quem deu, em agradecimento por me escolher como cirurgião; a segunda rosa, quem a ofereceu foi a enfermeira que me acompanhou na operação e simpatizou muito com a senhora..
— E a terceira?...
— Foi de um rapaz que estava internado no Setor de Queimados, em agradecimento pelo par de orelhas novas que lhe foram implantadas!